CPV (Custo dos Produtos Vendidos): o que é e como calcular

Custo dos Produtos Vendidos (CPV)
Augusto Turcato
Augusto Turcato, especialista há 9 anos em marketing de conteúdo, faz parte do time de marketing que ajuda milhares de vendedores, gestores e empreendedores brasileiros a aumentar suas vendas com metodologias e tecnologias aqui no CRM PipeRun.

Resumo do artigo:

O CPV (Custo dos Produtos Vendidos) representa o total dos custos diretos envolvidos na produção dos bens ou serviços vendidos por uma empresa;

Ele é importante porque ajuda a entender o custo real dos produtos vendidos, influenciando a precificação, a lucratividade e a estratégia financeira do negócio;

Você sabia? O CRM de Vendas da PipeRun fornece relatórios detalhados sobre vendas, mostrando custos, valores e margens dos produtos vendidos, auxiliando no cálculo preciso do CPV e na análise de lucratividade.

Você sabe o que significa Custo dos Produtos Vendidos ou CPV? Hoje, vamos te explicar todos os detalhes sobre esse conceito.

Como já comentamos por aqui, gerenciar um negócio vai muito além de apenas vender produtos ou serviços. 

Para ter bons resultados a longo prazo, é preciso entender todos os custos envolvidos em cada parte da operação.

E um dos conceitos mais importantes nesse aspecto é o Custo de Produto Vendido (CPV), que ajuda a revelar a verdadeira eficiência e lucratividade do que é vendido pela empresa.

O CPV não se limita apenas ao custo de aquisição ou produção da mercadoria; ele abrange também outros gastos relacionados à venda, como mão de obra, armazenamento e transporte. 

Por esse motivo, entender o CPV é essencial para tomar decisões mais acertadas, seja para ajustar preços, reduzir custos ou identificar produtos mais lucrativos.

Se você ainda não sabe o que é CPV e como otimizá-lo, não se preocupe! Ao longo desse artigo, vamos te explicar de forma clara o que constitui o Custo de Produto Vendido, sua importância para os negócios e como calcular esse valor. 

Ao final, você poderá aplicar esses conhecimentos no dia a dia do seu negócio, otimizando sua gestão financeira e tomando melhores decisões.

Boa leitura!

MODELO DE PLAYBOOK DE VENDAS PARA BAIXAR

Quer um modelo de Playbook de Vendas 

para adaptar para a sua equipe?

Organize o processo de vendas e o conhcimento da sua equipe. Acele vendas, treinamento e as boas práticas com o playbook de vendas pronto e editável.

Você receberá um email com material. Confira a caixa de entrada e Spam.

O que é Custo dos Produtos Vendidos (CPV)?

O Custo dos Produtos Vendidos (CPV) é uma métrica financeira que indica o valor total gasto pela empresa para fabricar ou adquirir os produtos que vende.

Esse custo é uma parte crucial da contabilidade de qualquer negócio que comercializa produtos, pois impacta diretamente na lucratividade. 

O CPV inclui despesas como a compra de matérias-primas e os custos de produção diretos. 

Para uma empresa que fabrica móveis, por exemplo, o CPV abrange o custo da madeira, ferragens, cola, verniz, além dos salários dos trabalhadores que montam os móveis.

Além disso, o CPV pode também incluir outros gastos que estão diretamente relacionados à produção ou compra dos produtos, como o custo de operação de máquinas e a manutenção de equipamentos utilizados no processo de fabricação. 

Importante frisar que o CPV não engloba despesas indiretas, como marketing, aluguel do espaço da empresa, ou salários de funcionários que não estão diretamente envolvidos na produção. 

Em resumo, conhecer o CPV permite que a empresa determine o preço de venda dos seus produtos de forma mais precisa e entenda a margem de lucro de cada item vendido.

Qual a diferença entre CPV, CMV e CSV?

A principal diferença entre CPV, CMV e CSV está no tipo de negócio e no que está sendo vendido — produtos fabricados pela empresa, produtos comprados para revenda, ou serviços prestados, respectivamente. 

Cada um desses termos ajuda a entender os custos específicos associados a diferentes tipos de operações comerciais.

Confira abaixo as definições!

CPV (Custo de Produtos Vendidos)

CPV ou Custo de Produtos Vendidos é um termo usado principalmente por empresas que produzem os próprios produtos.

Como comentamos, ele inclui todos os custos diretamente associados à produção dos produtos, como matéria-prima, mão de obra diretamente envolvida na fabricação ou desenvolvimento, e outros custos diretamente relacionados à produção.

CMV (Custo da Mercadoria Vendida)

O CMV ou Custo da Mercadoria Vendida é bastante utilizado no varejo e no comércio em geral. 

Na prática, refere-se ao custo de aquisição das mercadorias que são vendidas. 

Para uma loja de roupas, por exemplo, o CMV incluiria o que foi pago pelas roupas compradas do fornecedor, sem adicionar custos de produção, já que a loja não fabrica essas roupas.

CSV (Custo dos Serviços Vendidos)

Já o CSV ou Custo dos Serviços Vendidos pode ser aplicado em empresas que oferecem serviços em vez de produtos físicos. 

Por isso, o CSV abrange os custos diretamente ligados à prestação de serviços, como salários dos profissionais que os executam, custos de materiais usados durante o serviço e despesas diretas relacionadas à execução do serviço.

Leia também: O que é markup, para que serve, como calcular e qual é o ideal

O que é Custo dos Produtos Vendidos (CPV)

Quais despesas integram o CPV?

O Custo dos Produtos Vendidos inclui todas as despesas diretamente relacionadas à produção ou aquisição dos produtos que uma empresa vende. 

Vamos conhecê-las em mais detalhes!?

Aluguel

Como seu nome sugere, essa despesa cobre o custo do espaço onde os produtos são fabricados, desenvolvidos ou armazenados. 

Se uma empresa possui uma fábrica, o aluguel pago por esse espaço é considerado parte do CPV. 

Estamos nos referindo a um custo fixo, que não muda com a quantidade de produção.

Energia

Aqui estamos falando sobre o custo com eletricidade ou outras fontes de energia necessárias para operar máquinas e equipamentos no processo de produção. 

Esse custo varia de acordo com o uso e é essencial para manter a operação da fábrica, se for o caso.

Matéria-prima e insumos

Basicamente, esse custo está relacionado ao preço de todos os materiais usados diretamente na fabricação do produto, como peças e outros recursos necessários. 

Esse tipo de custo é, sem dúvidas, um dos principais componentes do CPV, variando conforme a quantidade de produção do período.

Mão de obra direta e indireta

Mão de obra direta e indireta abrange os salários dos funcionários que trabalham diretamente na produção (mão de obra direta) e também dos que suportam o processo de produção (mão de obra indireta), como supervisores e pessoal de manutenção. 

Depreciação de máquinas e equipamentos

A depreciação representa o custo do desgaste ou obsolescência dos equipamentos, máquinas e outras tecnologias usadas na produção. 

Ou seja, um custo contábil que reflete a perda de valor desses ativos ao longo do tempo.

Custos com estoque

Custos com estoque envolvem despesas relacionadas à armazenagem e manutenção dos produtos antes de serem vendidos, como o custo de espaços de armazenamento e sistemas de gestão de estoque.

Saldo em estoque

Já o saldo em estoque se refere ao valor dos produtos que ainda estão em estoque no final de um período contábil. 

Ter a visão abrangente desse custo ajuda a empresa a entender o valor dos bens que ainda não foram vendidos.

Outras despesas gerais

A categoria de despesas gerais abrange quaisquer outros gastos que estejam diretamente ligados à produção ou aquisição de produtos, mas que não se encaixam nas categorias anteriores. 

Pode incluir, por exemplo, custos de transporte interno e taxas de importação, caso a empresa precise manter uma operação logística.

Como calcular o CPV, Custo dos Produtos Vendidos

Como calcular o CPV?

Calcular o CPV não é uma tarefa difícil, mas é preciso seguir algumas boas práticas para evitar erros no processo.

Para calcular o CPV de maneira prática, siga os passos a seguir: 

  • Inicie com o valor do estoque no início do período contábil (EI);
  • Adicione a isso os custos dos insumos (In), como matéria-prima e embalagens, utilizados na produção dos produtos vendidos. Inclua também os custos da mão de obra (MO) empregada na produção desses produtos;
  • Acrescente os gastos gerais de fabricação (GGF), que abrangem despesas como aluguel do espaço de produção, custos de energia, e depreciação de equipamentos;
  • Por fim, subtraia o valor do estoque ao final do período contábil (EF).

A fórmula CPV= EI + (In + MO + GGF) − EF ajuda a determinar o custo total dos produtos vendidos pela empresa durante um período específico.

Exemplo de CPV

Para exemplificar a fórmula do Custo dos Produtos Vendidos (CPV), vamos usar um exemplo com números:

  • Valor do estoque inicial (EI): Suponha que o valor do estoque no início do período contábil seja R$ 20.000;
  • Custos dos insumos (In): Durante o período, foram utilizados R$ 15.000 em matéria-prima e embalagens;
  • Custo da mão de obra (MO): A mão de obra empregada na produção custou R$ 10.000;
  • Gastos gerais de fabricação (GGF): Despesas como aluguel, energia e depreciação somaram R$ 5.000;
  • Valor do estoque final (EF): Ao final do período, o valor do estoque foi de R$ 18.000.

Agora, aplicamos a fórmula: CPV = EI + (In + MO + GGF) − EF, teríamos: 

  • CPV = R$ 20.000 + (R$ 15.000 + R$ 10.000 + R$ 5.000) – R$ 18.000 CPV 
  • CPV = R$ 20.000 + R$ 30.000 – R$ 18.000 
  • CPV = R$ 32.000

Assim, o custo dos produtos vendidos neste período específico seria de R$ 32.000.

EBOOK GRÁTIS

Playbook de Pré-Vendas Pronto e Editável

O material será enviado por e-mail. Confira a caixa de entrada e de SPAM.

Por que é importante identificar o CPV?

Você sabe a importância de identificar o Custo de Produtos Vendidos (CPV)? Ter esse cálculo em mãos pode ajudar sua empresa em diversas decisões e processo, como: 

Precificação e lucratividade

O CPV é essencial para definir preços de venda adequados. 

Isso porque, sabendo o custo de produção, a empresa pode estabelecer preços que não só cobrem esses custos, mas também geram lucro a curto, médio e longo prazo.

Análise financeira

Compreender o CPV permite avaliar a saúde financeira da empresa de uma maneira mais ampla.

Inclusive, ele impacta a margem de lucro bruto, sendo um indicador chave da eficiência operacional de uma organização.

Leia também: EBIT: O que é, sua importância, como analisar e calcular

Controle de custos

Ao analisar o CPV, a empresa também pode identificar áreas onde os custos podem ser reduzidos, aumentando assim a eficiência e a rentabilidade.

Isso inclui a revisão de contratos com fornecedores, a busca por alternativas de matéria-prima mais econômicas, ou a otimização do uso da mão de obra. 

O resultado de diminuir os custos de produção sem comprometer a qualidade é, como você já deve imaginar, o aumento da margem de lucro por produto. 

Tomada de decisão estratégica

Com base nos dados do CPV, fica muito mais fácil avaliar a viabilidade de expandir linhas de produtos, considerando os custos envolvidos na produção de novos itens. 

Essa métrica ainda ajuda a decidir sobre investimentos em equipamentos ou tecnologia que possam aumentar a eficiência da produção. 

Ou seja, o CPV permite ainda analisar o impacto financeiro de alterações no processo de produção, como a adoção de métodos mais sustentáveis ou automatizados. 

PASSO A PASSO PARA A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL EM VENDAS

Veja como sair da planilha

fazer gestão de vendas através de um CRM

Você receberá por email o material. Confira a caixa de Spam também.

Como o CPV ajuda na estratégia de precificação?

O CPV é um componente-chave na estratégia de precificação de uma empresa, já que fornece informações essenciais para definir o preço dos produtos. 

Conforme mencionamos, ele reflete os custos diretos envolvidos na produção ou aquisição de produtos, ajudando a determinar o preço mínimo de venda para evitar prejuízos.

Ao adicionar uma margem de lucro ao CPV, a empresa pode estabelecer preços que garantam sua rentabilidade. 

No entanto, essa margem deve ser calculada cuidadosamente para manter os preços competitivos no mercado, ao mesmo tempo em que garante lucro para a empresa.

Vale lembrar que o CPV também facilita o entendimento da eficiência de suas operações de produção. 

Isso porque, ao analisar os custos detalhados no CPV, é possível identificar áreas onde os custos podem ser reduzidos para aumentar a lucratividade geral.

Por fim, o CPV contribui ainda para fazer ajustes estratégicos nas linhas de produtos. 

Com esses dados, a empresa pode decidir focar em produtos mais lucrativos ou alterar métodos de produção para reduzir custos, otimizando assim a estratégia de precificação.

Como CRM de Vendas ajuda a entender o CPV? 

Você sabia que o CRM de Vendas da PipeRun ajuda a entender o CPV (Custo de Produtos Vendidos) de várias maneiras?

Por meio dos relatórios de itens vendidos, a ferramenta fornece informações detalhadas sobre produtos, serviços e recorrências vendidas. 

Esses dados incluem a quantidade total de itens vendidos, custos envolvidos, markup, valores unitários, descontos aplicados, valor total de vendas, comissões recebidas, margens e ticket médio.

Com o CRM PipeRun, você também pode  cadastrar produtos, serviços e receitas recorrentes, personalizando propostas e oportunidades de venda.

Esse recursos facilita (e muito) o monitoramento do desempenho de cada item vendido, fornecendo ainda insights valiosos sobre a precificação. 

Dessa maneira, você pode decidir ajustar seus preços com base em fatores como saída, sazonalidade e outros aspectos de mercado.

Assim, o CRM de Vendas se torna uma ferramenta importante tanto para organizar seu processo comercial, quanto para gerenciar o CPV de forma mais eficaz.

Gostou e quer ficar por dentro de todos os benefícios que nossa ferramenta pode proporcionar ao seu negócio?

Fale hoje mesmo com um de nossos consultores. Será um prazer te ajudar com seus desafios!

Conclusão

Como você já sabe, entender o Custo de Produto Vendido (CPV) é essencial para garantir o sucesso financeiro e operacional de qualquer negócio que envolva a venda de produtos. 

Ao calcular e analisar o CPV, as empresas podem tomar decisões mais assertivas em relação à precificação, controle de custos e estratégias de produção. 

Ferramentas como o CRM de Vendas PipeRun desempenham um papel importante nesse sentido, pois é capaz de fornecer diversos insights sobre o desempenho dos produtos e auxiliar na gestão eficaz do CPV. 

Ao implementar essas e outras práticas, você com certeza estará mais bem preparado para enfrentar os desafios do mercado e, é claro, garantir o sucesso a longo prazo dos seus empreendedorismo.

Quer continuar aprendendo? Saiba que estamos sempre publicando novos conteúdos por aqui para aprimorar sua gestão financeira e estratégias de vendas. Não deixe de conferir! 

Sucesso e boas vendas! 

FAQ – Perguntas Frequentes

Como se calcula o custo dos produtos vendidos?

O custo dos produtos vendidos é calculado somando os gastos com matérias-primas, mão de obra direta e outros custos diretamente relacionados à produção, e subtraindo o valor do estoque final do período contábil.

Como fazer o cálculo do CPV?

Para calcular o Custo dos Produtos Vendidos (CPV), você pode utilizar a seguinte fórmula: CPV = Estoque Inicial + (Custos de Insumos + Mão de Obra + Gastos Gerais de Fabricação) – Estoque Final.

Quais são os custos de produtos vendidos?

Os custos de produtos vendidos incluem despesas como matéria-prima, mão de obra direta, gastos gerais de fabricação, aluguel de espaço de produção, energia, depreciação de equipamentos, custos com estoque e outras despesas diretamente relacionadas à produção ou aquisição de produtos.

Mais automação. Mais economia. Mais resultado.

Contar com uma plataforma nacional de aceleração de vendas é muito mais negócio.

Acompanhe todas as novidades sobre Marketing e Vendas

Se inscreva em nossa newsletter e fique por dentro!