Metodologia OKR

8 min de leituraOKR, a metodologia diferente que melhora os resultados nas empresas

Aplicar a metodologia OKR é uma excelente maneira de vencer o desafio de planejar e executar estratégias dentro das empresas.

Até porque, você sabe melhor do que ninguém que somente com processos azeitados, funcionando da melhor maneira, é possível ser competitivo e diferenciar-se no mercado.

A concorrência é grande – e crescente – e ter métodos que aprimorem o dia a dia de trabalho a cada dia mais essencial.

Passa, assim, por um modelo de gestão correto, voltado para o todo (não só o lucro) o sucesso de qualquer estratégia empresarial.

A metodologia OKR, assim, trabalha para garantir que os melhores resultados possam ser obtidos dentro da organização.

Mas, afinal, como o que significa essa sigla? Como esse método é aplicado e traz o efeito desejado dentro dos negócios?

Falaremos, neste artigo, sobre esses detalhes e daremos algumas dicar para potencializar as suas etapas.

Vamos conferir?

Boa leitura!

Então, o que é OKR?

Saiba o que é OKR

Objectives and Key Results (OKR). Traduzindo: objetivos e resultados-chave. Para entender melhor do que se trata, vamos a um pouco de história primeiramente.

A sigla remete à metodologia criada por Andrew Grove que, na época, era CEO da Intel. A popularização deste método, todavia, se deu apenas em 1999, por conta de John Doerr.

Ele era investidor do Google e apresentou a mesma para os funcionários da empresa e, desde então, é credita a ela muito do crescimento da companhia.

Logo, a OKR mostrou-se eficaz para empresas de todos os portes, de pequenas até grandes corporações. E por aí já podemos começar a entendê-la melhor.

À época, Doerr estabeleceu o uso do método da seguinte forma:

Objetivo (O)

Nesta etapa, a empresa deixa clara o que ela deseja que ocorra. Ele precisa ser posto de forma didática e ter a sua importância explicada.

Isso é importante para que as pessoas envolvidas deslumbrem o final do processo e os benefícios a serem alcançados com ele.

Resultados-chave (KR)

Nesta segunda e última etapa aborda-se as metas que terão impacto direto para atingir o objetivo – caso esse seja alcançado plenamente.

Eles indicarão se o objetivo foi realmente atingido e dão controle total sobre o processo. E, com controle, obviamente hã uma gestão administrativa eficiente por trás.

Ah, um detalhe importante: o tempo.

Para um OKR tático, que deseja consertar algum processo de imediato, geralmente a metodologia é empregada no prazo de um trimestre.

Mas, quando ele é estratégico, de longo prazo, então aplica-se o mesmo por um ano inteiro.

A características da OKR, uma metodologia diferente

Características da metodologia OKR

Um das principais vantagens da aplicação dessa metodologia precisa ficar claro desde já: ela é totalmente flexível.

Ou seja, ela é diferente dos métodos mais tradicionais como Scrum, ciclo PDCA, BSC, 5W2H, entre tantos outros.

Não há, desde a sua concepção, quaisquer práticas mais rígidas ou até mesmo básicas para que a OKR tenha sucesso em sua aplicação.

Os detalhes podem e devem ser adaptados para que façam sentido à realidade de cada negócio. E, quando isso ocorre, fica mais fácil de conduzir o processo até o final.

A OKR destaca-se, por exemplo, por ter uma peculiaridade em relação às metas. Elas são definidas para um período bem curto de tempo.

O que isso significa? Duas coisas:

  1. Elas são mais tangíveis de serem atingidas;
  2. Permitem uma rápida correção de rumo – se necessário for.

Mas, para isso, de novo: é preciso deixar bem claro os objetivos e também os resultados-chaves desejados. Isso será essencial no engajamento das equipes.

Outro fator importante que a metodologia OKR se escora: o feedback.

O “KR” da sigla, ou seja, os key-results devem ser semanalmente reportados. Isso permite uma previsibilidade do resultado final quando for chegado o término do trimestre.

Logo, haverá tempo para uma correção de rumo e o retorno para o caminho desejado.

Comunicação é a chave do negócio

Para que a aplicação da metodologia seja eficiente, é necessário engajamento de todos. E isso só é possível quando há clareza, a partir da gestão, sobre as metas e objetivos propostos.

O método obriga que haja uma transparência na forma de agir. Para isso, cabe aos diretores serem diretos e expor as prioridades da empresa e como isso se desdobrará em resultados.

Sendo assim, a tomada de decisão se dará sempre em cima de dados. E as análises feitas tornam-se, no trimestre seguinte, uma nova OKR.

Dentro deste contexto, a avaliação de desempenho é extremamente importante. Logo, comunicar-se é ainda mais importante.

Ah! E aqui, mais uma diferenciação desta metodologia em relação às demais. O esforço é medido e levado muito mais em conta do que o resultado.

Este último, claro, é importante – mas não o principal. Até porque, para se chegar onde se deseja, o caminho precisa ser bem trilhado.

O fato de a OKR ser trimestral ajuda com que ele possa ser percorrido da melhor maneira para que o resultado realmente seja o esperado.

Acertando as melhores práticas, ficará mais fácil alcançar resultados em diversas situações de maneira mais assertiva.

Como aplicar a metodologia OKR nas empresas? Veja 10 passos!

Como aplicar a OKR?

Agora que você já entendeu o que é essa ferramenta de gestão e também seus benefícios, é hora de saber como colocá-la em uso.

Separamos alguns passos para a sua aplicação dentro das empresas.

Essas etapas devem ser feitas – reforçamos – sempre de forma clara e comunicativa.

Isso quer dizer, todos precisam estar inteirados (em tempo integral) do que está sendo pensado e do que e como precisa ser feito.

Confira:

1 – Comece pequeno

O ideal é começar com uma abordagem menor, focando em questões que não sejam necessariamente vitais.

O ponto aqui é validar a forma de trabalhar e como os times poderão acostumar-se a esse método.

Faça, também, essa aplicação inicial de maneira coletiva. É importante que ninguém se sinta sobrecarregado ou pressionado para entregar os resultados.

É, portanto, um estágio de aprendizado – tenha isso claro.

2 – Construa uma vitória para motivar

A OKR só é útil e realmente eficiente às empresas quando há engajamento de todos. E, para isso, é preciso fazer a confiança fluir.

Um dos jeitos de conseguir isso é, quando da primeira aplicação, estabelecer um resultado que seja fácil (mas não fácil demais) de alcançar.

Opte, também, por realizar esse teste com equipes que tenham bastante interação – tanto entre si, como com outras áreas.

Essa metodologia visa a união e a sinergia entre as pessoas (algo que a cultura DevOps prega), mas ela não faz mágica. É preciso ter já um elo entre todos para, assim, estreitá-los.

Por isso, estabelecer uma meta plausível de ser atingida nos 3 meses de aplicação é uma forma de manter a motivação de todos em dia.

E aí, se isso ocorrer, é hora de buscar voos mais altos.

3 – Treinamento e aperfeiçoamento constantes

Metodologia OKR: treinamento constante

“Quanto mais treino, mais sorte eu tenho”. Essa frase de Tiger Woods tem certamente um fundo de verdade.

Mas, aqui, claro, não nos referimos à sorte, e sim conhecimento, competência e confiança para se fazer as coisas.

Por isso, dentro das empresas, o treinamento e qualificação precisam ser constantes.

Cabe aos gestores explicar a importância das metas e os benefícios que a OKR traz.

Dar um treinamento, também, voltado para definir metas e desdobrá-las posteriormente.

Mostrar que a inciativa e o engajamento são importantes e educar os times em cima do que motivou a adoção da metodologia.

4 – Tornar os KR métricas – e não tarefas

A cultura a ser construída é a de foco no resultado e na forma como ele é obtido.

Isso é a diferença entre eficiência e eficácia.

Não basta apenas entregar o resultado desejado, o caminho para se chegar até ele precisa ser bem corrido.

O processo tem que ser bem feito – e registrado – para que possa ser colocado como uma boa prática para todos.

As tarefas são somente hipóteses, opções do que pode ou não ser feito.

Mas o foco, claro, precisa ser obrigatoriamente no objetivo final. Ele é o porquê de tudo isso.

6 – Defina as OKR para todos

Como definir as OKR?

Anual ou trimestral, não importa. Os OKR devem ser sempre poucos e de alto nível. Eles são os critérios, os pré-requisitos para o sucesso da empresa naquele período.

Isso ocorre com cada time dentro da empresa pensando em como se pode contribuir para chegar no objetivo que a organização precisa.

E, neste momento, os OKR podem tanto ter foco específico como amplo.

Ou seja, pode ser voltado para algo menor – mas que se refletirá no todo de alguma forma -, como em uma questão macro, que envolva mais partes da empresa.

7 – Recorra ao OKR Planning

De um jeito ou de outro, é preciso ter paciência. Até porque, o processo de definição de metas geralmente é demorado.

Todavia, para acelerar esse processos, sessões de OKR Planning são fundamentais.

Para isso, cria-se grupos com pessoas de diferentes áreas – juntamente com os gestores e as propostas começam a aparecer.

Então, neste momento, se definirá os OKR do trimestre a partir dos OKR que a empresa apresentou.

Ou seja, em cima do objetivo maior da empresa, metas curtas e intensas para se chegar lá serão traçadas.

É oportunidade perfeita para escolher os multiplicadores. Eles serão os responsáveis, internamente, como agentes de mudança.

São pontos focais para garantir que os resultados sejam entregues ao final do período. Funcionam como uma espécie de guardião da metodologia, verdadeiros coaches.

Essa pessoa ensina como fazer, quando fazer e monitora para que tudo transcorra conforme planejado.

8  – Coloque a OKR na rotina das equipes

OKR refere-se à uma cultura. E, como tal, precisa ser assimilada para ela realmente ser viva e fazer sentido dentro das empresas.

Logo, para ela estar presente no dia a dia, as atividades das equipes devem ser priorizadas tendo a metodologia como base.

Neste momento, a organização é essencial.

Como as OKR são trimestrais, o calendário já deve prever reuniões para as mesmas, buscando o acompanhamento da evolução das OKR, evitando atropelo de datas, prazos, etc.

9 – Dê notas para as OKR

Dê notas para OKR

Uma forma eficiente de organizar as OKR é dando notas para as mesmas.

Priorize a avaliação das mais simples para as mais complexas.

Vamos usar um exemplo simples para que essa análise possa ficar mais clara.

Digamos que o objetivo era aumentar em 3x a taxa de conversão de vendas. Se você conseguiu aumentar 1,5x, você logicamente atingiu 50% da meta.

10 – Faça uma gestão correta das pessoas

O sucesso da metodologia, você certamente já tem isso claro a essa altura, passa pelo envolvimento das pessoas.

Portanto, fique sempre atento a fatores que podem desmotivar os seus times – e ataque isso de imediato.

Um dos fatores que pesam é o não atingimento recorrente dos OKR.

Por isso, é como dissemos na etapa número 1. Construa aos poucos, deixe a cultura fluir. Dê as condições ideais para, somente aí, ir escalando para metas maiores e mais complexas.

Isso é importante, até mesmo, para saber como remunerar melhor seus times.

Não esqueça reconhecer quando as metas são alcançadas, ok?

E aí, como podemos te ajudar?

Se você ficou com alguma dúvida sobre a metodologia, ou quer compartilhar alguma “dor” na gestão de seus negócios, fale com um consultor ainda hoje.

Aproveite e leia dois artigos que ajudarão você no dia a dia de sua empresa.

O primeiro fala da importância da cultura organizacional e como isso contribui para uma rotina corporativa melhor.

Já o segundo traz 5 dicas para um ambiente de trabalho mais produtivo e positivo para todos!

Boas vendas!

Um abraço do PipeRun, o seu CRM. #RunPipeRun

Equipe de Redação
conteudo@odig.net