CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas)

5 min de leituraCNAE: entenda o que é, qual a importância e como escolher o certo

CNAE significa Classificação Nacional de Atividades Econômicas. Ela foi criada para identificar e organizar, por um código único, toda e qualquer área de atividade econômica desempenhada em território brasileiro. Entender conceito e aplicação é algo estratégico para sua empresa conseguir se posicionar em mercados cada vez mais competitivos.

Empreender reserva desafios diários e estar preparados e ser estratégico para lidar com eles é, sem dúvida alguma, essencial.

A velocidade com que a sociedade se transforma e os negócios se desenvolvem são, muitas vezes, difícil de acompanhar. E quem não souber se posicionar corretamente dentro deste contexto, estará alguns passos atrás dos demais.

Entender o conceito e aplicação de CNAE é saber como definir as atividades que a sua empresa irá realizar. Por tratar-se de algo amplo, é comum haver confusão na hora de escolher a classificação certo para seus negócios.

Identificando produto, mercado ou serviço. A classificação do CNAE se dá esta forma e permite com que as organizações enquadrem-se em mais de uma delas.

E essa é só uma das tantas dúvidas que cercam essa classificação. Por isso, neste artigo, temos a intenção de deixar tanto conceito, como aplicação e os benefícios disso totalmente claros.

Desta forma, você poderá ser muito mais estratégico na hora de posicionar-se no mercado, o que irá nortear outras ações igualmente importante no dia a dia de sua empresa.

Vamos lá?

Boa leitura!

Então, me diga: o que é CNAE?

CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas)

Como falamos bem no começo deste artigo, CNAE é a sigla para Cadastro Nacional de Atividades Econômicas. Seu objetivo é a classificação das atividades que sua empresa irá desempenhar.

Para facilitar a compreensão de todos, essa categorização é feito por meio de códigos padronizados em todo o Brasil.

Estes são utilizados nos cadastros e também registros das administrações federais, estaduais e municipais.

O objetivo, com isso, é proporcionar uma gestão tributário mais eficiente e à prova de fraudes.

Dentro desta missão, foram criadas subclasses que, além de controlar ações fraudulentas, também beneficiam a administração dos recursos que entram.

Isso porque, cada vez que uma nota fiscal é emitida, o código CNAE destaca-se para informar o tipo de atividade exercida pela organização.

É ele, portanto, que determina qual segmentação de mercado seus negócios irão atuar para poder, de maneira legal, executar as tarefas dentro deste segmento específico.

Importante ressaltar que essa classificação se aplica também para ONGs, profissionais autônomos, órgãos públicos e empresas agrícolas.

Cabe aqui destacar que CNAE e Código de Serviços não são a mesma coisas. Não é incomum que ocorra essa confusão.

Este segundo, por sua vez, é uma lista utilizada para definir todo e qualquer tipo de serviço que uma empresa presta e também a alíquota de imposto em cima do mesmo.

Os encargos, aliás, estão padronizados de acordo com a tabela de códigos da Lei Complementar n°116 de 2003.

O imposto municipal recolhido se dá, assim, com base neste percentual tabelado.

Ok, mas, me diz: por que CNAE é importante para a minha empresa?

CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas)

Um dos objetivos mais claros e diretos da criação da CNAE é a diminuição da burocracia, além de facilitar a vida dos gestores na hora de pagar os tributos e impostos devidos.

É por conta desta classificação que a sua empresa poderá ser enquadrada nos regimes de tributos do Simples Nacional – onde há possibilidade de pagar tributos menores.

Ou, então, no Sistema Integrado de Pagamentos de Impostos e Contribuições das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte.

É importante ressaltar que, neste caso, os impostos são unificados em um pagamento por mês.

Ter a CNAE correta dá à gestão administrativa das empresas a certeza de quais impostos deverão ser pagos, bem como as obrigações acessórias, além de usufruir dos impostos fiscais.

Logo, é algo importantíssimo para quem deseja fazer uma gestão financeira assertiva, podendo direcionar os recursos certos para cada obrigação e também ações estratégicas do dia a dia.

Isso porque, caso a classificação de sua organização seja errada, há uma possibilidade enorme de ela ser bitributada.

Se isso acontecer, você pagará obrigações a mais do que o necessário. Ou seja, perderá um dinheiro importantíssimo e que fará falta dentro do planejamento estratégico realizado.

Certo! E como saber em qual CNAE minha empresa se encaixa?

CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas)

O primeiro passo é, antes de escolher qual CNAE a sua empresa irá trabalhar, consultar a tabela da mesma, que está disponível na página do IBGE.

Antes de tudo, é importante frisar que, ao identificar a classificação correta para seus negócios, é possível verificar se você poderá optar pelo Simples Nacional.

Uma consulta ao Comitê CGSN, no site da Receita Federal, ajuda a solucionar essa questão.

Isso porque, lá você tem acesso a todos os códigos que possuem quaisquer tipos de impeditivos para o Simples Nacional. Consulte o CNAE da sua empresa e saiba se ela está ou não inclusa.

Mas algumas características podem ser destacadas de imediato para determinar se sua empresa pode ou não optar pelo simples.

Os impeditivos para tal são:

  • empresas que possuem outras pessoas jurídicas como acionistas;
  • negócios participantes do capital de outra pessoa jurídica;
  • filiais, sucursais, agências ou representantes de uma organização internacional;
  • possuir sócio que viva no exterior;
  • ter débitos com o INSS ou Ministérios das Fazendas.

Além disso, é importante entender que é normal – com o passar do tempo – que as empresas alterem o seu ramo de atividade. E não há problema nisso.

Essa alteração pode se dar tanto na atividade primária, como também ocorrer um simples acréscimo de atividades secundárias.

Aí, siga os mesmos passos para identificar tanto os códigos como as atividades que mais fazem sentido para a realidade atua de seus negócios.

Conhecer o CNAE é importante na hora de prospectar clientes e vender

Além de saber muito bem qual o CNAE da sua empresa, conhecer as de seus clientes é igualmente importante para ajeitar suas estratégias de marketing para captação de clientes e, claro, de vendas.

Quando você usa um bom sistema de vendas, como um CRM, você consegue identificar – em cada oportunidade aberta – o CNAE e também CNPJ das empresas que você está negociando.

Isso ajuda a saber – e os relatórios podem mostrar isso – para qual segmento e/ou setor você vende mais e tem maior produtividade nesta missão.

A partir daí, você entende como direcionar esforços para prospectar ainda mais clientes com este perfil.

Esses são indicadores importantes para tornar o processo de vendas ainda mais redondo, tendo um Custo de Aquisição de Clientes menor. Aliás, você sabe o que é CAC?

Para deixar seus processos ainda mais organizado, o CNAE de cada cliente estará dentro do software.

Este, aliás, preenchido automaticamente no cadastro de empresas pela busca do CNPJ na receita federal.

Com isso, você terá mais agilidade, produtividade e o CNAE deixará de ser um mistério para você em todos os momentos dentro do seu negócio.

E aí, como podemos te ajudar?

Se você ficou com dúvida acerca do conteúdo ou deseja saber sobre como a tecnologia impacta positivamente os processos na sua empresa, fale com um consultor ainda hoje.

Aproveite e leia dois artigos que ajudarão você a administrar melhor seus negócios como um todo.

O primeiro fala sobre planejamento orçamentário e sua relevância dentro dos processos e do dia a dia das empresas.

Já o segundo traz a importância que tem um planejamento de vendas eficiente e direcionado para o sucesso da empresa e dos clientes.

Boas vendas!

Um abraço do PipeRun, o seu CRM. #RunPipeRun

Equipe de Redação
conteudo@odig.net