cold-call-cold-calling-2-0

6 min de leituraCold Calling 2.0: descubra a técnica de venda que revoluciona o modelo outbound

Os termos Cold Call 2.0 ou Cold Calling 2.0 são novos para você? Se você atua em conjunto com profissionais de marketing, provavelmente já ouviu falar nas vendas outbound, certo?

Ele consiste na divulgação por meio de flyers, telemarketing, prospecção ativa, outdoors, propagandas na televisão e veículos impressos etc.

Além dessa ferramenta mais tradicional, uma das técnicas de vendas que tem chamado a atenção é justamente o Cold Call 2.0 ou Cold Calling 2.0. O seu intuito é ser uma solução mais eficiente para vendas complexas.

Ainda não sabe o que é isso?

Neste artigo, falaremos mais sobre o conceito e a aplicação do Cold Calling 2.0. Além disso, falaremos no que se diferencia da velha estratégia de Cold Call.

Vamos lá?

Boa leitura!

O que é cold call 2.0

Conheça o cold call 2.0 e tenha uma relação mais próxima com os clientes.

O que é Cold Call 2.0?

Cold Call 2.0 busca identificar, atrair e reter um lead por meio do uso de diversas ferramentas e tecnologia, como e-mails, newsletters, entre outros. Isso é o oposto à movimentação tradicional, que visa ligações intermináveis durante o dia para a prospecção de clientes.

Ou seja, a ideia é ter uma abordagem inicial mais amena para estabelecer uma conexão melhor e mais próxima com clientes e prospects.

A técnica também tem como foco a segmentação estratégica. Ela evita que os vendedores percam tempo com clientes potenciais que não se encaixam no perfil do produto. Isso acaba reduzindo, consequentemente, o CAC, Custo de Aquisição de Clientes.

Cold Call 2.0 é bem diferente de Cold Call

Há mais diferenças do que semelhanças entre o Cold Call e o Cold Calling 2.0. Até porque, eles foram pensado para segmentos diferentes.

Abaixo, selecionamos 4 pontos diferentes entre as duas estratégias. Confira:

1 – Valor agregado

O Cold Call surgiu no mercado B2C para vender produtos e serviços por telefone. Muitas vezes isso ocorria com cold calls de telemarketing e sem segmentar público.

Já o Cold Call 2.0 nasceu B2B. Por se tratar de vendas complexas, há um cuidado maior em gerar valor para a pessoa do outro lado da linha e ser sempre claro sobre como funciona o que está sendo vendido.

E, para obter o melhor rendimento possível, o público é cuidadosamente selecionado com uma segmentação estratégica.

2 – Conhecimento inserido

Conhecer o cliente é uma das dificuldades que o Cold Calling encontra. Afinal, a técnica consiste em ligar para o maior número de pessoas oferecendo os produtos ou serviços – o que já não ocorre na “versão” 2.0.

Nesta, a intenção é conhecer as dores do cliente entender se há fit entre o time comercial e o lead para, aí sim, procurar selar a venda.

3 – Pitch e foco das vendas

O discurso de vendas do Cold Call você certamente conhece bem. Ele é decorado, acelerado, visando otimizar o tempo sem se preocupar se aquilo que é dito faz sentido para quem está ouvindo.

O Cold Calling 2.0, apesar de valer-se de um playbook de vendas muitas vezes, tem um discurso flexível. Ele muito mais escuta do que fala, para saber qual a dor do cliente e como ela pode ser solucionada.

Enquanto um tenta vender a todo custo, outro foca em apresentação personalizada. Afinal, nem todos (ou quase nenhum) cliente é igual quanto às suas necessidades e o seu nível de entendimento e maturidade sobre a solução ofertada.

4 – Profissionais do setor

Com script fechado, um discurso de vendas repetitivo, o profissional que usa a técnica do Cold Call não tem muita perspectiva de crescimento. Afinal, essa é uma técnica que limita o vendedor a somente uma forma de trabalhar.

O Cold Calling 2.0 tem intuito de estar sempre aprimorando. Até porque, ela acompanha as mudanças de mercado e de contexto econômico para se adequar e continuar gerando valor aos prospects.

Saiba quais são os principais pilares do Cold Calling 2.0

Ok! E como funciona o Cold Calling 2.0?

Como sabemos, o Cold Call 2.0 tem se tornado uma excelente opção para garantir o sucesso na área de vendas e aumentar as taxas de conversão. Basicamente, os principais pilares da ferramenta estão ligados ao:

Uso de soluções tecnológicas inovadoras

O Cold Call 2.0 permite que os profissionais façam uso de newsletters, e-mails marketing direcionados e ofertas, entre outros itens, para conhecer um pouco mais sobre o cliente.

Paralelamente, a utilização de soluções aplicadas em vendas, como o CRM (Customer Relationship Management), permite ao gestor focar todas as suas estratégias no cliente.

Isso acontece porque o CRM coleta informações importantes sobre os clientes em tempo real e com mais eficiência. O gerente de vendas pode armazenar todos esses dados detalhados para criar ações específicas e direcionadas que atinjam diferentes nichos, por exemplo.

Dessa forma, a ferramenta garante uma abordagem mais leve e humanizada. O CRM também automatiza as tarefas e integra as diferentes áreas da empresa, permitindo que o gestor atue de forma estratégica para elaborar interações mais assertivas.

Planejamento estratégico

A técnica do Cold Calling 2.0 consiste em ter uma conversa com o cliente que vai muito além da oferta de produtos e/ou serviços.

É possível uma atuação mais estratégica ao ouvir o que ele diz. Então, somente depois, desenvolver soluções e formas de atender às suas necessidades, orientando totalmente o foco para esse fim.

Combinado ao uso do CRM, portanto, o Cold Call 2.0 permite planejar cada ponto de uma ação de marketing para atingir as pessoas certas no momento certo, aumentando as chances de concretizar uma venda.

Essa estratégia também contribui para a satisfação do consumidor, que receberá uma oferta realmente relevante às suas necessidades naquele momento.

Como usar essa estratégia?

Para que essa técnica tenha efeito e entregue os resultados que a empresa precisa, é necessário ter objetivos bem definidos.

Mais do que isso, ter o time de marketing e vendas integrados e que a “passagem de bastão” de uma equipe para a outra ocorra da melhor forma possível.

Para ter sucesso na aplicação desta estratégia fique atento a 3 pontos essenciais.

1 – Conheça seu cliente

Para começar a criar uma estratégia de sucesso, é preciso conhecer bem o perfil do cliente ideal (ICP) da empresa. É um pouco diferente de persona.

Conhecendo bem para quem você vai vender é possível otimizar o discurso, tanto do marketing, como de vendas.

2 – Atraia potenciais clientes

Técnicas de inbound marketing servem para atrair interessados naquilo que você vende. Servem para a geração de leads. E isso ocorre criando um formulário, seja por meio de trial ou landing page de material, colocando-os direto no funil de pré-vendas ou no funil de vendas.

Fazendo isso, a abordagem do Cold Calling é mais assertiva, pois o lead já estará minimamente inteirado sobre quem é sua empresa.

3 – Prepare o time comercial

Aprimoramento constante é essencial para manter o seu time de pré-venda e também de venda sempre atualizado.

É papel de um bom líder de vendas investir em reuniões periódicas de feedback ou então em um coaching de vendas. Estimular a chamada metodologia ágil também é importante para compartilhar constantemente conhecimento.

Assim, a equipe comercial estará preparada para contatar o cliente e gerar valor para ele já nesta ligação.

Cold calling e vantagens das vendas outbound

As vendas outbound oferecem uma série de vantagens para o seu time comercial.

Vantagens das vendas outbound

Por oferecer diversas possibilidades para os vendedores, a metodologia tem sido cada vez mais utilizada por empresas de todas as áreas. Entre as principais vantagens dessa nova técnica de vendas estão a conversão de clientes, fidelização e, é claro, o consequente aumento de rentabilidade do negócio.

É cada vez mais comum encontrar pessoas reclamando das ações do telemarketing. Até porque, essa é uma estratégia que realiza milhares de ligações durante a semana e, até mesmo de madrugada.

Nesse contexto, como fazer Cold Calling 2.0 permite um primeiro contato mais ameno, as chances de sucesso aumentam consideravelmente.

Além disso, o Cold Call 2.0 ajuda o vendedor a entender a necessidade do cliente uma vez que, por meio de newsletters ou e-mails marketing, é possível identificar os cliques e as preferências de cada um.

Isso permite o oferecimento dos serviços e produtos ideais de acordo com a demanda e necessidade de cada um, personalizando e facilitando o atendimento.

Em suma, ao entrar em contato para entender um pouco mais sobre o cliente, a chance de conversão aumenta. Isso significa que o Cold Calling 2.0 veio para revolucionar as vendas outbound e deve ser utilizado como uma estratégia eficiente de marketing.

E aí, como podemos te ajudar?

Caso você tenha ficado com alguma dúvida sobre esse artigo, fale com um consultor hoje mesmo.

E lembre-se! Para adotar o Cold Call 2.0 de forma efetiva, também é importante contar com um sistema de vendas adequado.

Ele precisa estar alinhado à proposta automação comercial com históricos de clientes para realizar ligações assertivas. Este é o caso dos CRMs de Vendas. Por isso, entender o que é CRM é importante nesses momentos.

Um bom CRM de Vendas é o ideal para o Cold Calling 2.0 e pode ser testado gratuitamente clicando abaixo:

Conteúdo Super indicado para leitura

Qual a diferença entre o Pipedrive e o PipeRun?

 

Equipe de Redação
conteudo@odig.net