Dashboard de vendas

8 min de leituraDashboard de vendas: veja o que é, como ter e quais as métricas importantes

Dashboard de vendas é um recurso tecnológico que mostra, de maneira ágil, intuitiva e em tempo real, uma série de informações sobre o andamento de suas vendas. O seu uso, por conta de gráficos e indicadores, dá uma visão geral sobre o processo e torna as tomadas de decisões muito mais assertivas.

Ter o controle de vendas, saber como estão indo suas oportunidades abertas e de que maneira seu time está trabalhando…

Que gestor não quer viver neste contexto, não é mesmo? Ter uma visão clara do processo e saber como a empresa está vendendo é, sem dúvida alguma, uma boa prática no setor.

Neste sentido, a tecnologia é decisiva e não pode mais ser ignoradas pelas organizações que desejam crescer e ser ainda mais referência onde atuam.

Um dashboard de vendas dá às empresas a segurança em saber como estão ocorrendo todas as negociações em tempo real.

Mais do que isso, permite identificar de imediato eventuais falhas, dando tempo e condições de corrigir antes que isso torne-se algo maior.

Neste texto, falaremos da importância que esse recurso traz, além de darmos alguns exemplos de como tê-lo no dia a dia em seus negócios.

Ah, além disso: quais as métricas relevantes e que precisam estar nele?

Esses são tópicos que, a partir de agora, iremos debater.

Boa leitura

O que é dashboard de vendas?

O que é Dashboard de vendas?

Dashboard de vendas é um recurso que a transformação digital dentro das empresas disponibiliza para um controle de vendas assertivo e em tempo real.

Ele é usado para mostrar visualmente e de maneira ágil e intuitiva o conjunto de informações sobre como estão andando as suas vendas.

Não à toa a palavra, em inglês, significa “painel de controle”. Porque é justamente isso que permite, especialmente para um gerente de vendas: controlar.

O melhor de ter a tecnologia como aliada neste momento é justamente não precisar usar planilhas ou fazer contas complexas.

O que, por óbvio, torna os números totalmente precisos. Afinal, você não estará sujeito a um erro humano.

Um simples número digitado errado muda totalmente os resultados e você terá informações imprecisas.

E aí, bem… você já sabe o que pode acontecer, não?

Além de tornar sua avaliação imprecisa, poderá afetar em diversos outros fatores como o pagamento de comissão de vendas, por exemplo.

O que geraria inevitavelmente grande frustração e desmotivação dentro da rotina de vendas.

Sem falar, claro, das taxas de conversão que estarão todas imprecisas. E aí, azeitar o processo de vendas se tornará uma verdadeira epopeia.

Por isso, é ideal ter um dashboard de vendas que seja gerado automático. Nisso, novamente a tecnologia tem papel decisivo e é a locomotiva nestes casos.

Somente por meio destes painéis você poderá ver uma série de dados e também informações que darão um panorama 360º graus do negócio.

A rotina de trabalho ficará ainda mais clara. Além do que, você terá claro aspectos financeiros, técnicos e tendências que mostrarão o quão eficiente são, hoje, seus processos.

7 métricas relevantes para um bom dashboard de vendas

Métricas dashboard de vendas

Para que o dashboard de vendas faça sentido e realmente ajuda o gerenciamento de vendas a ser preciso, é necessário que ele seja completo.

Entender bem as métricas de vendas, saber quais devem estar presentes no painel de controle é uma questão estratégica.

É, também, a bem da verdade, um diferencial competitivo importante em relação aos demais concorrentes.

Nem sempre a tecnologia está presente no dia a dia em todas as empresas – mas a sua não precisa ser assim, certo?

Separamos, abaixo, 7 métricas importantes para você monitorar e ter ainda mais precisão quando o assunto for vender.

Aqui, precisamos integrar também o marketing e suas estratégias de geração de leads para captação de clientes.

Afinal, a força de vendas da empresa é uma só e esses dois setores (marketing e vendas) precisam estar integrados e sinérgicos.

Ah, é importante dizer que essa dashboard é voltado para quem realiza o modelo inside sales, quando as vendas ocorrem de forma interna.

Isto posto, confira as métricas que ressaltamos:

1 – Número de visitas

O primeiro item que citamos é o número de visitas que ocorrem em seu site. Isso dá, aos gestores (e a todos os envolvidos no processo comercial) uma ideia mais clara do impacto que seu negócio gera.

É possível saber em comparação com a concorrência se é um número ou não satisfatório. Para tal, use ferramentas como o SEMrush para saber o quão a frente ou distante você estão.

Claro que esse não é um processo exatamente simples de realizar. E faz mais sentido àquelas empresas que já tem a tecnologia presente em seus processos.

Mas é extremamente importante e vale muito a pena ser iniciado. Isso contribui para que a empresa veja o quão bem ou mal posicionada ela está no mercado.

Também serve para mostrar o quanto ela precisará reforças suas estratégias de prospecção de clientes, principalmente através de inbound marketing.

2 – Quantidade de leads gerados

Lead dashboard de vendas

Seja topo, meio ou fundo de funil, não importa. Você precisa medir quantos leads, em tempo real, seus negócios estão gerando.

Pense em uma separação simples para determinar em qual nível cada lead deve entrar. Podemos considerar topo aqueles que baixam algum material rico que você criou.

Meio de funil àqueles que se inscrevem em sua newsletter. Ou, então, registaram interesse em alguma pesquisa ou material mais aprofundado.

Já os de fundo, quem registrou-se na seção de contato do seu site ou pediu para fazer parte do período de trial de sua solução.

Entenda que lead não é ainda um cliente. É alguém que “levantou a mão” e que, por isso, precisa passar por uma nutrição para que você possa vender.

Saber o número de prospects ajudam a gestão de vendas a saber a proporção de visitantes no site x leads gerados.

E, assim, de novo: fazer uma tomada de decisão assertiva em relação ao que o marketing precisa aprimorar.

3 – Número de agendas realizadas

Outra comparação importante que precisa ser feita é a quantidade de agendas realizadas para que o vendedor possa, de fato, fazer a venda.

Aqui, é importante ver quantos dos leads que foram gerados tiveram, de fato, interesse em conhecer melhor a sua ferramenta.

Essa é uma das métricas mais importantes do dashboard de vendas, pois mostrará a qualidade do trabalho do time de SDR.

Ele é o responsável pela qualificação deste lead, em dar a ele condições e segurança para ouvir o que o vendedor tem a dizer.

Não é o momento para pressa. É preciso que a pré-venda seja consultiva e instrua o prospect no caminho para solucionar suas dúvidas.

4 – Quantidade de oportunidades abertas

Aqui podemos separar em dois – se fizer sentido para o seu negócio. É importante ressaltar que não só as oportunidades que estão sendo negociadas devem ser mensuradas.

O abandono de carrinho também precisa aparecer aqui. Elas seguem sendo uma boa oportunidade de negociação.

Por algum motivo houve a desistência da compra – e algo precisa ser feito sobre isso.

Então, tenha uma métrica que indique, dentro do dashboard de vendas, o número de carrinho que foram abandonados.

Aí, sim, outra que mostra suas negociações abertas, as “normais”, que passaram pelo seu time de pré-vendas e chegaram ao vendedor.

Falamos, acima, que essa separação deve ocorrer apenas se fizer sentido para o seu modelo de negócios. Leia-se: se sua empresa for um ecommerce.

Aí, você pode usar alguns gatilhos mentais e realizar ações para oferecer um cupom de desconto ou uma condição exclusiva de pagamento.

Caso contrário, foque apenas na métrica de negociações abertas para saber o quão bem seus negócios estão se saindo.

5 – Número total de vendas feitas

Total de vendas dashboard de vendas

Esse é uma métrica indispensável e até mesmo óbvia de estar presente: o número total de vendas realizadas.

O ideal aqui é não só colocar a quantidade como também o ticket médio por cliente, produtos que tiveram maior saída, entre outros.

Leia-se: quanto mais detalhado aqui, melhor.

Isso servirá para motivar a sua equipe de vendas, mostrando que a meta está próxima a ser batida, o que estimulará um foco e produtividade muito maiores.

Da mesma forma saber os números e os detalhes ajudam os gestores – que têm uma visão mais estratégica do negócio.

Sabendo quais produtos e serviços (ou assinatura dos mesmos) vendem mais, será possível focar ainda mais nestes e desenvolver ações para aumentar as vendas.

6 – Percentual das metas alcançadas

Da mesma forma que os números obtidos precisam aparecer, os desejados também. É fundamental colocar em porcentagem e números totais a meta desejada para o mês e o ano.

Isso ajudará a saber como está o ritmo do seu time e se é preciso acelerar uma etapa de follow up.

Isso pode ajudar você com suas oportunidades abertas, em que o cliente ainda está indeciso. Assim, você conseguiria garantir que as metas e objetivos sejam batidos.

Mas, claro que isso só será possível ter conhecimento quando você tem bem claro, visível e intuitivo em seu dashboard de vendas.

7 – Taxa de conversão entre todas as etapas

Em todas as etapas do funil de vendas é preciso, com porcentagem, medir a taxa de conversão.

Não importa quantas etapas tenha em seu pipeline, você precisa medir todas as conversões de uma para outra para saber, até mesmo, se faz sentido ter todas elas.

Só assim você conseguirá medir a eficiência e eficácia do seu processo e saber no que pode melhorar.

Como ter um dashboard de vendas?

Como montar dashboard de vendas

Há formas e formas de ter um dashboard de vendas presente na sua empresa. Umas são precisas e em tempo real, outras não.

Uma alternativa barata – e aqui a única vantagem dela – é criar planilhas e compartilhá-las online pelo Google Drive, por exemplo.

Ela pode funcionar por um tempo, especialmente para empresas pequenas e/ou que estão começando. Startups podem se valer disso… por um tempo.

Mas, é como falamos desde o começo neste artigo. Um número digitado de forma errado, um só basta para simplesmente comprometer todos os dados sobre vendas.

E para identificar onde ocorreu o erro? Quanto tempo será perdido nessa missão? E nem há garantia de que ele será encontrado.

Todavia, sua empresa deseja crescer, certo? Quer vender mais, melhor e ser reconhecidamente a maior referência no setor.

Então é preciso ter a tecnologia para direcionar essa missão – e nada melhor do que ter o relatório do seu CRM para guiá-lo.

Se você deseja acompanhar o desempenho das suas vendas, ter o foco no cliente e no sucesso deles. Além, claro, de poder controlar tudo o que seu time de vendas faz, esse é o caminho.

Com um bom sistema de CRM você tem dashboards realmente eficientes. Você conta com todo histórico do relacionamento com clientes e taxas de conversões a cada etapa.

Tenha também as métricas de cada vendedor para saber quem está melhor e quem está aquém do desejado.

Coloque ele em uma TV e deixa ao acesso de todos, exatamente aonde fica o setor de vendas para não só controlar como estimular a todos.

Afinal, quanto mais visíveis as métricas presentes no dashboards, mais assertivo será o dia a dia de trabalho.

E aí, como podemos te ajudar?

Se você ficou com dúvida sobre o artigo ou quer saber mais sobre como ter um dashboard completo pelo seu CRM, fale sempre que desejar com um consultor.

Aproveite e leia dois artigos que ajudarão você a vender mais e melhor todos os dias.

O primeiro fala justamente sobre o que é CRM de vendas e como ele ajuda as empresas.

Já o segundo fala sobre algumas técnicas de vendas para ajudar a acelerar mais negócios.

Boas vendas!

Um abraço do PipeRun, o seu CRM. #RunPipeRun

Equipe de Redação
conteudo@odig.net