Passagem de bastão de marketing para vendas: como fazer?

Passagem de Bastão de Lead do Marketing para Vendas

Passagem de bastão, em vendas, é quando um lead gerado pelo marketing é nutrido pelo mesmo e, em determinado momento de sua jornada, encontra-se ciente da solução que tem diante de si. É neste momento que este lead passará às mãos do setor de vendas, que irá qualificá-lo e iniciar de fato uma negociação.

Muitas empresas têm dificuldade em saber em que momento devem abordar um cliente para negociar seu produto ou serviço.

E por não saber a hora certa, acabam atropelando etapas. O cliente se sente pressionado e a venda é perdida.

Então, sim: a passagem de bastão é um momento estratégico. Na verdade, vital.

E precisa ser feito com todo cuidado e acompanhamento possível. Não é o momento para achismos. Nem para “arriscar”. O terreno a ser pisado precisa ser firme.

Caso contrário, você terá perdido a venda e, junto disso: tempo, recursos, dinheiro. E, claro: terá gerado uma frustração enorme em todos os envolvidos.

Sim, todos: os possíveis clientes e todo seu time de marketing e de vendas.

Para que isso não aconteça, falaremos para você neste artigo sobre o que é, como fazer e quais ferramentas ajudam você na passagem de bastão.

Mas não só de marketing para vendas. Falaremos de todas as áreas que estão conectadas.

Vamos conferir? Boa leitura!

O que é passagem de bastão? E como funciona?

Quando falamos do processo de vendas como um todo, um dos momentos mais importantes é o da passagem de bastão.

Por definição, podemos falar que é o momento em que a equipe de vendas começa de fato a se relacionar com o lead. Falamos em “equipe” para dar um sentimento de união.

Mas quem irá pegar esse contato inicialmente são os profissionais de pré-venda.

Este lead em questão, então, veio do marketing, começou o seu relacionamento por lá – isso, claro, dentro de uma jornada de compra lógica.

Em um processo comercial estruturado e seguindo a sequência, o profissional de SDR será o primeiro a ter contato com o lead.

Então, a partir disso, você já começou a entender como é o fluxo, certo? Toda a força de vendas da empresa estará necessariamente envolvida nisso.

Mas esse start no time comercial só é dada se o cliente em potencial demonstrou algum tipo de interesse no seu produto ou serviço.

Sim, esse é o “X” da questão. E é onde muitas empresas se perdem ou não sabem como estimular isso. Ou até pior: nem percebem que o interesse foi demonstrado e perdem uma oportunidade de ouro.

É, esse é o pior dos cenários. Mas na sua empresa não precisa ser assim – e iremos falar daqui até o final do texto o que você precisa fazer.

Passagem de bastão de pré-vendas para vendas

Seguindo: se o lead tem fit. Ou seja, se ele atende aos critérios definidos pela empresa para usar a solução, o SDR qualifica-o para a etapa seguinte do processo de vendas.

Esse passo é: deixá-lo na mão do vendedor que irá então apresentar a solução e iniciar a negociação de fato. E aqui acontece outra passagem de bastão: do pré-vendas para o vendas.

Você pode fazer de diversas formas. Mas, o mais importante de tudo: as informações colhidas pelo SDR precisam estar lá.

Ou seja, tudo o que o profissional de pré-vendas coletou sobre dores, necessidades, contexto do cliente precisa ser repassado ao vendedor.

Isso ajudará ele a moldar o discurso, direcionando-o exatamente para as dores do cliente em potencial. Desta forma, o poder de persuasão é muito maior.

A demonstração da solução será consultiva. Irá gerar valor e a venda se tornará algo mais próximo de ocorrer.

Afinal, o cliente irá confiar no vendedor. Ele sabe quais suas necessidades e como, ponto a ponto, elas podem ser solucionadas.

Então, veja só: que trabalho em equipe que temos, certo? Do marketing para pré-vendas. De pré-vendas para vendas.

Benefícios de fazer a passagem de bastão do marketing para vendas

Uma boa passagem de bastão traz efeitos positivíssimos na organização dos times. Mas, acima de tudo, na percepção do cliente.

Na verdade, é um efeito dominó. Tudo está interligado (sim, isso precisa ficar claro para você). Afinal, enquanto para o time comercial (pré-vendas e vendas):

  • as informações relevantes sobre o prospect ficam retidas na oportunidade;
  • as dores são mapeadas, o que ajuda a tornar o pitch de vendas mais persuasivo;
  • é possível enxergar toda a jornada de compra e saber o nível de maturidade do prospect antes mesmo de falar com ele.

Para o cliente:

  • ele se sente constantemente acompanhado pela empresa;
  • nota uma preocupação em sempre educá-lo com bons materiais;
  • percebe uma continuidade no atendimento e um canal de comunicação fluído entre as duas partes;
  • reconhece a empresa como uma autoridade no que faz, alguém a ser ouvido.

Se um lado se beneficia, automaticamente o outro também. E quanto mais refinada for essa passagem de bastão, mais benefícios serão listados.

Assim, todo tipo de passagem de bastão será fácil e fluída dentro da sua empresa:

  • do marketing para pré-vendas;
  • de pré-vendas para vendas;
  • de vendas para time de implementação;
  • do time de implementação para customer success

Quais times estão conectados entre si e irão contatar o cliente? Você precisará passar o “bastão” em todos esses momentos, então.

Como a tecnologia ajuda a passagem de bastão entre setores?

Se você quer fazer uma passagem de bastão, de qualquer área para qualquer área, você precisa necessariamente ter a tecnologia nos seus processos.

Aqui, seremos direto e daremos o “pacote” básico do que você precisa.

E, bem… você sabe que os dois precisam estar integrados, certo? Por isso, é importante ser criterioso na escolha de ambas as plataformas.

Primeiro porque elas precisam ter as funcionalidades que ajudam você a saber o momento certo de fazer a passagem de bastão.

Segundo porque você necessita de recursos que ajudam você a se relacionar com o cliente continuamente. Então, na sua plataforma de automação de marketing, preze por:

  • enviar email marketing em massa;
  • poder fazer listas com segmentações;
  • criação de fluxos de nutrição;
  • poder criar landing pages (LP) para converter o seu conteúdo criado;
  • lead scoring;
  • URL do lead para analisar todo seu histórico de interações;
  • entre outros.

Acerte no sistema de vendas

Da mesma forma há funcionalidades importantes que necessariamente o seu CRM de vendas escolhido precisa ter.

Tais como:

  • integração com as melhores plataformas de automação de marketing;
  • poder criar vários tipos de funil (pré-vendas, vendas, success, etc);
  • cadastro de pessoas, empresas, regiões, etc;
  • possuir ações automáticas que ajudam na automação de processos (inclusive os integrados ao marketing);
  • ter templates de emails para poder agilizar todo tipo de contato;
  • tracking dos emails enviados (assim você sabe se o conteúdo foi recebido e lido)
  • possuir integração com telefonia voIP para deixar as ligações registradas (isso ajudará o vendedor e conhecer melhor o cliente antes da venda);
  • ter oportunidades organizadas e visuais em um pipeline no modelo kanban;
  • possuir o registro, dentro da oportunidade, de todo histórico do cliente com a empresa (todo mesmo, desde o marketing);
  • poder criar atividades para pré-vendedores, vendedores e todo o time que trabalha com o CRM;
  • ter alerta de estagnação de oportunidades para não perder nenhum negócio por falta de ação;
  • recurso de agenda público para o prospect marcar a melhor data para ele para conversar;
  • entre outros.

Como fazer a passagem de bastão entre marketing e vendas? Veja 5 passos!

Mas afinal, como fazer a passagem de bastão do marketing para vendas? Bem, precisamos falar do processo como um todo.

De suas estratégias para captação de leads. Lembra que falamos da jornada completa? Então é necessário abri-la aqui, colocando as ações inicias de forma clara.

Desta maneira, você saberá o que acontece em cada estágio e como precisará agir.

Separamos em 5 passos para separar a leitura. É relativamente simples (quer dizer, não envolvem tantos estágios).

O complexo disso tudo?

Gerar valor e entregar, ao longo da jornada, conteúdos realmente bons e que o façam ter cada vez mais informações e conhecimento.

Dito isso, veja os estágios que separamos:

1 – Alinhe suas estratégias de marketing

Primeiro de tudo é preciso estruturar suas estratégias de marketing. E aqui, para conseguir entregar tudo o que o cliente precisa para confiar em você, é hora de produzir bons conteúdos.

O marketing de conteúdo é seu principal aliado neste momento. Mas, claro: não descarte outros meios de captar clientes como comprando listas, indo em eventos, etc.

Mas aqui falaremos de criação de conteúdo, então, para isso, tenha ciência de que é preciso além de produzir textos em blogs com otimização de SEO.

Produza bons materiais ricos, tais como: eBooks, infográficos, pesquisas, templates, webinários.

Todos sempre com diversos níveis de profundidade de conhecimento. Topo, meio e fundo de funil.

A missão aqui é atentar os potencias clientes para seus problemas, mostrar as possíveis soluções e depois evidenciar como você é agente de transformação.

Monte uma LP atraente e de fácil conversão para cada um de seus materiais. Quando o formulário for preenchido, bem, aí você pode ouvir aquela frase: “que iniciem os jogos”.

2 – Coloque o lead em um fluxo de nutrição

Mas você precisa fazer algo com o lead gerado, não é mesmo? Você não pode esperar que simplesmente um conteúdo bastará para ele se encantar com você e comprar.

Bom, isso até pode acontecer. Mas não é a regra. Será exceção. Por isso, não conte com isso – arregace as mangas e mãos à obra!

Cada material baixado precisa necessariamente ter um fluxo de nutrição atrelado.

Isso nada mais é do que uma sequência de emails (não exagere na quantidade nem na frequência) que serão enviados ao lead.

Nestes emails, envie conteúdos relacionados cada vez mais aprofundados sobre o assunto referente ao material rico que ele fez o download.

3 – Eduque e dirija o lead

Mas enviar conteúdos só por enviar, para cumprir um ritual, também não faz sentido. Você precisa educar e empoderar o cliente nesta jornada.

Sim, você faz isso com materiais, mas dá um passo a mais Em todos os emails que você mandar, deixe um canal para uma comunicação mais direta.

Aí, veja o que mais faz sentido: compartilhar seu número no WhatsApp, mandar um formulário, uma página para abordar um especialista.

Ou pode simplesmente estimular para que ele responda ao email e vocês possam se aprofundar.

Mas veja bem: além de educar com os conteúdos, você estimula a comunicação.

Se não servir para que ele diga “ok, me interessei pela sua solução”, pode ser útil para que o conteúdo seja mais facilmente absorvido. Ambos são positivos.

Afinal, você conseguirá um impacto positivo e o lead estará progredindo na sua jornada.

4 – Atribua pontuações e jogue a isca

Esse é um ponto importantíssimo. Nas plataformas de automação de marketing, você pode configurar um lead scoring.

Esse é o nome que se dá para a pontuação que um contato soma de acordo com cada ação que ele executa:

  • se cadastrar na sua newsletter;
  • baixar conteúdo de topo, meio ou fundo de funil;
  • abrir cada email do seu fluxo de nutrição;
  • baixar algum material enviado no fluxo de nutrição;
  • responder aos emails que você envia;
  • entre outros.

À medida que a pontuação vai aumentando, por óbvio também cresce o interesse que ele tem pela sua marca.

Com isso, estabeleça um ponto de corte – ou uma ação que pode ser determinante para: ou jogar a isca, ou fazer a passagem de bastão.

Então, por exemplo: se o lead atingiu pontuação X, você pode enviar um formulário de trial para ele experimentar seu serviço.

Ou, se ele preencheu o formulário que você enviou, respondeu o email ou abordou você no WhatsApp, você pode fazer a passagem de bastão.

Mas você só saberá o momento certo de jogar a isca se souber o quão maduro o lead está. E só sabe isso através da tecnologia e da pontuação.

5 – Passe o bastão de fato

De um jeito ou de outro, a passagem de bastão está encaminhada – sempre com a tecnologia como locomotiva das ações.

No segundo caso, você conversa inicialmente, entende as dores dele e o encaminha para pré-vendas. Ou, o próprio SDR é quem conversa com ele.

Então, vamos lá: se ele for em uma página específica para falar com um especialista, essa pessoa será o SDR.

E já que você tem seu site integrado ao seu CRM, automaticamente após a conversão, uma oportunidade irá abrir na etapa que você definir dentro do funil de pré-vendas.

Um trial, por exemplo, a mesma coisa. Você irá abordar o cliente para saber suas dores, necessidades e o que ele deseja com sua solução.

Mas e se o lead responder por email ou WhatsApp? No primeiro caso, o responsável pelo marketing pode fazer um email de encaminhamento.

A partir daí o SDR pode: ou registrar manualmente a oportunidade, ou integrar com Google Forms, por exemplo.

Com uma ação automática programada, ao registrar as informações a oportunidade já surge no pipeline (como citamos acima).

E da mesma forma com WhatsApp: a conversa, feita em uma ferramenta externa, ficará igualmente registrada na oportunidade que foi automaticamente criada.

E aí, nos termos certos, respeitando todas as etapas necessárias, a passagem de bastão do marketing para a área de vendas estará concluída.

Como fazer a passagem de bastão entre outras áreas

E de pré-vendas para vendas, como passar o prospect?

Bom, essa é mais fácil de saber e identificar. Porque basicamente só existe um gatilho que aciona isso: o interesse do potencial cliente em comprar.

Então, depois que o SDR qualificou, entendeu as dores e as necessidades e apontou como elas podem ser sanadas, uma agenda precisa ser marcada com o vendedor.

(Não esqueça de registrar tudo no card para ajudar o vendedor a ser mais persuasivo na hora do seu pitch!)

E tudo ocorre de forma automática. O SDR marca essa agenda, move o card de etapa no funil e dá ganho na oportunidade.

Nisto, uma ação automática pré-configurada faz o seguinte: duplica essa oportunidade para o estágio que você quiser dentro do funil de vendas e o vendedor começa a agir.

Passagem de bastão feita!

Nota: importante dar o ganho e ter a ação de duplicar. Sabe por que? Assim você não prejudica as métricas do time de pré-vendas.

Saberá exatamente quantas agendas ele conseguiu marcar e acompanhar se a venda foi fechada ou não. Isso porque o SDR ficará como envolvido na oportunidade para auxiliar em quaisquer assuntos – se necessário.

E de vendas para pré-vendas técnicas e/ou CS?

Outro gatilho fácil de acionar: só acontecerá se a venda for feita. A lógica é a mesma de pré-vendas para vendas. Você dá o ganho e usa a ação automática de duplicar.

A partir daí, seu time de CS entra em ação e faz o que for necessário para garantir o sucesso do cliente com a empresa.

Pode colocar em prática também as estratégias de up sell e cross sell – se assim fizer sentido.

Mas se você trabalha com pré-vendas técnico, mova o card de funil para que o projeto possa ser combinado.

A partir do momento que estiver acertado, essa oportunidade volta para o pipeline de vendas, o ganho é dado e, aí sim: o CS fica com ela.

Com a tecnologia dentro do seu processo e fazendo uma vez essas ações você verá o quão rápido e produtivo será a sua rotina.

Você terá mais tempo para aprimorar seus processos e, claro: vender mais e melhor e crescer!

E aí, como podemos te ajudar?

Se você ficou com dúvida sobre como CRM ajuda você na passagem de bastão entre as áreas, fale com um consultor agora mesmo.

Aproveite e leia dois artigos que ajudarão você a entender melhor a conexão entre processos na sua empresa.

O primeiro fala sobre como aumentar vendas com integração entre marketing e CRM.

Já o segundo aborda as métricas de vendas importantes para seu negócio.

Boas vendas!

Um abraço do PipeRun, o seu CRM. #RunPipeRun

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Publicidade

Acompanhe todas as novidades sobre Marketing e Vendas

Se inscreva em nossa newsletter e fique por dentro!

Sair da versão mobile